segunda-feira, 6 de abril de 2015

A brevidade da vida


Conte-me sua história
Conte-me seus dissabores
Conte-me os fatos corriqueiros de tua vida tão primorosa

Deleite-se em me relatar o quanto és vitorioso
O quanto alcançaste teus sonhos e ideais
E fostes elevado a um patamar que jamais sonhara ou imaginara

Enalteça seus nobres feitos
Gabe-se de suas conquistas heróicas
Orgulhe-se de ter chegado tão longe
Em lugares que jamais os homens poderiam acreditar que chegaria

Conte-me suas conquistas
Conte-me suas glórias
Conte-me o quanto és forte

No final de tua vida verás que apesar de gloriosas elas se esvaem no tempo
Diante de mim elas são insignificantes
Diante de mim elas são mera ilusão

Conte-me
Eu sou a morte

2 comentários:

Ezequiel Domingues dos Santos disse...

Paz Fernando, muito bons seus escritos! Muito legal!

Convido a seguir meu blog, se quiser curtir a página no facebook também - fique a vontade!

Deus abençoe!

http://www.ezequiel-domingues.blogspot.com.br/

https://www.facebook.com/blogdoezequiel

@Ds83Ezequiel

Nando Jesus disse...

Obrigado, Ezequiel.

Voltei a escrever. Seguirei teu blog e darei uma olhada na página.